Escalando o Impacto Social

Planejamento de Negócios e Gestão de Recursos em Organizações sem fins lucrativos
09.03.2020
Entendendo o Setor Sem-fins-lucrativos e seu Ambiente Atual
09.03.2020

Introdução

O crescimento significativo ou o impacto em grande escala permaneceram sendo uma meta ilusória para a maioria das organizações sem fins lucrativos, apesar de todo o importante trabalho por elas realizado. Até as organizações mais eficazes enfrentam, ou enfrentaram no passado, o grande desafio de aumentar seu impacto social. A maioria das organizações sem fins lucrativos permaneceu pequena em proporção ao problema social que trabalha para melhorar. A incapacidade de atingir escala, ou dimensão limitou o potencial dessas organizações e das pessoas e causas que elas servem. Simplificando, os desafios complexos e prementes da Sociedade exigem soluções com uma escala de impacto maior. Esta sessão de treinamento tem como objetivo ensinar aos participantes os “5 passos para aumentar o impacto social”.

Conteúdo

  1. Questões-chave (do capítulo)
  2. Palavras-chave (do capítulo)
  3. Parte substantiva/informação
  4. Atividades para o(s) leitor(es)
  5. Teste de autoavaliação de múltipla escolha
  6. Links para os recursos de auto-estudo
  7. Conclusão
  8. Referências

Questões-chave (do capítulo)

  • O que significa Escalando Impacto Social?
  • Por que é útil? Como podemos consegui-lo?

Palavras-chave (do capítulo)

  • Escalando Impacto Social
  • “5 passos” para escalar o impacto social

Parte substantiva/informação

Ao escalar o Impacto Social queremos ter um impacto significativo e sustentável, alcançando um maior número de pessoas.

Pelo termo Escalar entendemos aumentar o mais efetiva e eficientemente possível o impacto social que uma empresa social gera, com base em seu modelo operacional, para satisfazer uma demanda social. O foco está no aumento do impacto, não necessariamente no crescimento proporcional da própria empresa. Mais facilmente podemos dizer que ao Escalar o Impacto Social, queremos ter um impacto significativo e sustentável, alcançando um maior número de pessoas.

Como o Dr. Christian Busch refere em seu artigo , existem “5 passos que precisamos dar para escalar o impacto social”:

  1. Mude da dependência de fontes externas para um D.I.Y. (ou Faça-Você-Mesmo) sustentável. As organizações há muito dependem de despejar recursos externos em seus esforços de crescimento. Contudo, as organizações que permitem que as pessoas tirem o melhor proveito do que está à mão não são apenas rentáveis, mas podem potencialmente originar resultados mais sustentáveis. Os recursos externos nem sempre entendem o objetivo e o escopo de uma organização social, portanto, eles não estão entregando os resultados corretos. As pessoas que trabalham para uma organização social e compartilham os mesmos valores e metas podem oferecer resultados mais eficientes e alcançar mais pessoas.
  2. Relacione o objetivo organizacional a valores genuínos e medidas de impacto. Declarações de missão e valores têm sido um exercício de marketing para muitas empresas sociais. Como estamos falando de empresas sociais, não basta usar apenas palavras e afirmações sobre a meta e os objetivos de nossa empresa social. Temos que alinhar nosso objetivo organizacional com o objetivo e os valores dos grupos-alvo e dos indivíduos para sermos mais eficazes.
  3. Mude de nova tecnologia para tecnologia integrada. Em vez de ver a tecnologia como uma solução, ela pode ser uma plataforma eficaz que facilita o impacto na vida real. Em vez de criar uma nova tecnologia, incrementar telefones celulares e computadores existentes na comunidade pode ser tão eficaz quanto o desenvolvimento de novas tecnologias. Quando introduzimos uma nova tecnologia dirigida pelas ideias dos desenvolvedores, e não pelas necessidades reais da comunidade, essa tecnologia não foi usada pelos membros da comunidade e foi rapidamente abandonada. Além disso, em estruturas de rede, plataformas de tecnologia como o Facebook permitem transparência e podem ser úteis para responsabilizar as pessoas – seus pares, e não hierarquicamente. Por exemplo, postar metas semanais (e se foram alcançadas) em um fórum interno acessível ao resto da equipe pode levar ao aumento da motivação e do auto-monitoramento, especialmente se a concretização é crucial para o trabalho de toda a equipe.
  4. Mude e ao invés de buscar iniciativas centradas na organização, promova comunidades eficazes.  Pode dizer respeito a organizações que focam explicitamente na construção de comunidades, ou organizações maiores que constroem comunidades internas de inovação: se bem executadas, facilitar comunidades/redes pode ajudar a que as coisas sejam feitas mais rápida e eficazmente. Muitos empreendimentos sociais fracassam nesses esforços. Como discutimos em outro lugar, comunidades de inovação eficazes têm como base valores compartilhados, embaixadores capacitados, curada diversidade e prestação de contas entre os pares. Isso geralmente permite aumentar a probabilidade de coincidências positivas (e, portanto, eventualmente, a inovação) – acelerando assim os acasos felizes.
  5. Avance de inovação do produto para a inovação do sistema. Empresas bem-sucedidas costumam orquestrar ecossistemas inteiros. Em vez de investir apenas em suas próprias cadeias de valor, elas se tornam uma parte ativa das cadeias de fornecimento e valor de seus parceiros.

Estas cinco abordagens têm mostrado ser eficazes em diferentes contextos. Enquanto em alguns contextos umas possam ser mais efetivas, em outros podem não o ser. Contudo, o que cada uma delas tem em comum é que todas são explicitamente focadas em pessoas. Isto nos leva à dimensão normativa da empresa social.

Atividades para o(s) leitor(es)

Discuta sobre o que acabou de ler e debata sobre as seguintes questões:

  • Por que escalar impacto social é importante?
  • Você pensa que os 5 passos são difíceis de implementar? Se sim, por que razão?

Teste de autoavaliação de múltipla escolha

Q1. O que pretendemos alcançar com o Escalar do Impacto social?

a. Ganhar mais dinheiro
b. Dar mais dinheiro aos pobres
c. Impactar nosso grupo-alvo
d. Ter impacto significativo e sustentável alcançando um maior número de pessoas

Q2. De acordo com o primeiro passo para escalar impacto social, o que uma organização sem fins lucrativos deve fazer?

a. Depender dos recursos externos
b. Pedir um empréstimo
c. Permitir que as pessoas tirem o melhor proveito do que estiver ao seu alcance
d. Todos eles

Q3. De acordo com o segundo passo para escalar impacto social, o que uma organização sem fins lucrativos deve fazer?

a. Focar nos valores de marketing
b. Focar em valores sociais
c. Focar nos valores da organização
d. Ambos b e c

Q4. De acordo com o terceiro passo para escalar impacto social, o que uma organização sem fins lucrativos deve fazer?

a. Usar apenas o Facebook
b. Usar mensagens em celular
c. Criar seu próprio forum
d. Todos estes pontos

Q5. As comunidades eficazes em inovação têm como base

a. Valores compartilhados e embaixadores capacitados
b. Diversidade curada
c. Responsabilidade perante os pares
d. Todos estes pontos

Links para os recursos de auto-estudo

http://www.socialimpactexchange.org/webfm_send/739
https://www.bertelsmann-stiftung.de/fileadmin/files/user_upload/BST_ScalingSocialImpactInEurope_final.pdf

Conclusão

As organizações sociais estão lidando com essas questões há muito tempo. Elas sabem intuitivamente que escalar o impacto de uma inovação social geralmente requer uma maneira diferente de pensar e também uma maneira diferente de financiamento. O caminho da organização para escalar o impacto social pode incluir replicar a organização em novos locais, ou influenciar outras pessoas a ampliar o impacto de muitos atores afetando as pessoas que a organização pretende servir. Que tipo de suporte a organização, ou um conjunto de organizações precisa ao iniciar o caminho de expansão? Para o financiador, as questões sobre a melhor forma de ajudar organizações sem fins lucrativos a gerenciar os desafios de escala são complexas e abrangentes: da capacitação à modelagem financeira, do gerenciamento de políticas e advocacia às avaliações de resultados, ou ao ajuste fino da estrutura organizacional. O “campo da prática” em torno do impacto da escala para organizações sem fins lucrativos é essencial e está em constante evolução.

Referências

https://blogs.lse.ac.uk/management/2016/04/04/five-steps-to-scaling-social-impact/
https://ssir.org/articles/entry/scaling_social_impact#
https://www.bertelsmann-stiftung.de/fileadmin/files/user_upload/BST_ScalingSocialImpactInEurope_final.pdf